Notícias da Revista

BANNER INALDO DANTAS SITE

O consumo de energia do seu condomínio é uma grande dor de cabeça para você?

As medidas vão desde ações simples, como utilizar mais as escadas e trocar as lâmpadas por uma mais econômica, até soluções um pouco mais elaboradas – porém não impossíveis de serem implementadas – como a instalação de sensores de luz ou placas solares.

 

E são essas soluções que você começa a ver a partir de agora.

1. Faça uma planilha detalhando o consumo de cada mês

A planilha vai te ajudar a identificar como está o consumo de cada mês. A partir daí, é possível tentar detectar o que está gerando maior consumo.

Mas atenção! Na hora de comparar os gastos, relacione o período analisado com o mesmo do ano anterior. O consumo de energia é diferente em cada momento do ano.

É importante também não se apegar a valores em reais, uma vez que as tarifas sofrem variações. Detenha-se aos quilowatts (kw) que constam na conta de luz.

2. Escada ou elevador?

Um elevador está parado no 8º andar.

Você está no térreo.

Ao acionar esse elevador, considerando que o motor gasta 6kw para percorrer 1m/s, para chegar do 8º andar até o térreo, ele gasta 0,5kw de energia apenas nesta viagem. Se isso acontece 100x em um único dia, são 50 kw gastos. No mês, considerando essa mesma média, será 1500 kw, o que significa aproximadamente R$ 1.100,00*.

Como melhorar esta condição? Utilizando mais as escadas. Uma ação que vem com um “bônus”:

A cada degrau que você sobe, perde em média 0,15kcal. Parece pouco? Subindo 20 degraus por dia em um ritmo normal, são 84 kcal no mês. Uma barrinha de cereal a menos sem ter que alterar a dieta!

E a brincadeira pode ficar ainda melhor se você fizer dessa subida uma série um pouco mais, digamos, elaborada.

Quem precisa de academia quando tem escadas?

3. Iluminação na Garagem

Na garagem, usar lâmpadas fluorescentes, pintar a parede com cores claras (para favorecer a iluminação natural) e iluminar apenas áreas de circulação de veículo (e não os boxes) são algumas medidas que podem ser discutidas pelo conselho do condomínio.

4. Desligar as luzes da área comum manualmente em períodos de menor fluxo de pessoas

Trabalhoso, mas dispensa o uso de sensores – uma decisão que demanda a colaboração de todos.

Mas caso não funcione, vale considerar a próxima dica...

5. Instalação de minuterias e sensores de luz

Esqueceu de apagar a luz ao sair? Com essa solução você não precisa mais se preocupar com isso:

As minuterias e sensores atuam, muitas vezes, juntas. Estamos falando daquele sistema de luz, que acende automaticamente quando a pessoa chega ao local, ou dos temporizadores, que mantem a luz acesa por um per Simples, confortável e eficiente.

Achou essa dica interessante?

Sugiro que você consulte esta matéria, que registra cuidados que devemos ter em relação à instalação de sensores.

6. Utilizar poucas lâmpadas de várias intensidades

Você sabia que nem todos os ambientes precisam de uma lâmpada com tanta voltagem?

Em um ambiente amplo, por exemplo, muitas vezes vale mais a pena utilizar poucas lâmpadas com maior intensidade ao invés de muitas com pouca voltagem.

Converse com seu eletricista e peça para que ele monte um projeto com você!

Essa dica funciona melhor se a o item anterior já estiver em funcionamento, uma vez que os sensores amenizam bastante o desperdício de energia.

7. Placas solares

Esta solução é um pouco mais engenhosa, mas se mostra eficiente principalmente para aquecer a água do chuveiro, ou até mesmo iluminar áreas de uso comum.

Vale a pena consultar uma empresa para analisar se o investimento compensa!

8. Elevadores

Entre os vilões do consumo de energia, os elevadores estão logo no topo.

A solução mais simples está aliada com a segunda dica, mas outras ações contribuem para esta redução, como mantê-lo desligado em horários de menor uso, sempre que possível

Outra solução da série elevador + redução de consumo de energia é a modernização do equipamento. Mas essa se aplica apenas em alguns casos.

O investimento é considerável? É.

Mas, se o seu elevador já está apresentando “problemas de velhice’’, vale a pena pensar no assunto.

Só com a troca do motor e a combinação de uma gestão eficiente de energia, é possível reduzir em até 70% o consumo. Falamos mais sobre a modernização neste post.

Na maioria dos casos, o investimento se paga nos próximos quatro anos (as peças da Neomot possuem garantia de cinco).

Cansou?

Calma aí, tem só mais uma coisa que eu quero te falar:

A sustentabilidade destas dicas vai muito além do impacto no seu bolso.

Soluções e alternativas para a redução do consumo de energia elétrica existem várias.

Mas não podemos nos esquecer de um benefício que vai além da economia de dinheiro: a sustentabilidade do nosso Planeta.

As hidroelétricas, nossa principal fonte de energia, ao serem instaladas alteram bastante o ecossistema do local – além de demandar um grande volume de água para funcionar, outro recurso cada vez mais escasso (e talvez até mais problemático do que o consumo de energia) da nossa Terrinha.

Então, qualquer investimento e esforço para reduzir o consumo de energia elétrica são bem-vindos, não acha?

Lido 39 vezes
Avalie este item
(0 votos)